31 janeiro 2017

A Casa torta - Agatha Christie


Fechando o mês com chave de ouro!
O octogenário Aristide Leonides, dono de grande fortuna, é envenenado em sua mansão, onde vivia com toda a família — sua esposa, cinqüenta anos mais jovem, dois filhos, duas noras, três netos e uma cunhada. Qualquer um poderia tê-lo matado. O único motivo evidente é a fortuna deixada como herança. Mas parece pouco provável que alguém se dispusesse a sujar as mãos por causa do testamento de um velho em idade já tão avançada. Charles Hayward não tem como não se envolver na história: Sir Arthur Hayward, seu pai, é o comissário-assistente da Scotland Yard responsável pelo caso; e Sophia, com quem pretende se casar, é uma das netas da vítima. Portanto, Charles tem seus motivos para tentar solucionar o mistério.


RESENHA:

31/01/2017


Só Agatha Christie consegue deixar um vazio quando o livro termina. Os finais sempre me deixam com uma baita ressaca literária. 
Ela é engenhosa, absoluta! Como pode alguém escrever tantas estórias e contos de um mesmo gênero e nunca repetir a trama? Nunca ser previsível? Nunca haverá outra (ou outro) como ela!

Esse livro é uma releitura. Conheci a escrita de Agatha aos 14 anos e graças à ela adquiri o hábito da leitura e a fascinação por romances policiais.
A casa Torta foi um dos primeiros - senão o primeiro - livro dela que li e depois disso não parei mais. 
Esse livro não só me marcou pelo começo no mundo da leitura, como também por nunca mais ter me esquecido de quem era a pessoa culpada. Apesar de não me lembrar de absolutamente nada da estória - foi como se tivesse lido pela primeira vez - a pessoa culpada pelo crime eu não esqueci. Esse livro me marcou de muitas maneiras possíveis.


O livro é relativamente curto, apenas 238 páginas, então você consegue ler rapidinho numa tarde de folga.
A estória é contada pelo ponto de vista de Charles, o namorado de Sophia. À pedido dela, Charles começa a frequentar a casa para tentar descobrir pistas de quem poderia ter matado seu avô e enquanto esse crime não for solucionado, ela não ficará noiva dele.
Então ele se vê no meio de uma família grande, que futuramente poderá fazer parte, onde qualquer um pode ter matado o patriarca.

Possui pouca narrativa e muitos diálogos. A trama é bem montada e a finalização impecável.
Um livro no melhor estilo "Quem é o culpado", onde todos são suspeitos e todos têm motivos e oportunidade. Você não pode deixar de ler essa incrível obra da rainha do crime!

Só um aviso: Cuidado, mas muito cuidado ao ler algumas resenhas no Skoob. Teve pessoas que revelaram quem é a pessoa culpada.

Finalizada a leitura, só pude confirmar duas coisas: A Casa Torta continua no meu Top 5 da autora e que eu sou fã incondicional dela ♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário