09 fevereiro 2017

A Garota no Gelo - Robert Bryndza - Detetive Erika Foster 1


Seus olhos estão arregalados... Seus lábios estão entreabertos... Seu corpo está congelado... Mas ela não é a única. Quando um jovem rapaz encontra o corpo de uma mulher debaixo de uma grossa placa de gelo em um parque ao sul de Londres, a detetive Erika Foster é chamada para liderar a investigação de assassinato. A vítima, uma jovem e bela socialite, parecia ter a vida perfeita. Mas quando Erika começa a cavar mais fundo, vai ligando os pontos entre esse crime e a morte de três prostitutas, todas encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, em águas geladas nos arredores de Londres. Que segredos obscuros a garota no gelo esconde? Quanto mais Erika está perto de descobrir a verdade, mais o assassino se aproxima dela. Com a carreira pendurada por um fio depois da morte de seu marido em sua última investigação, Erika deve agora confrontar seus próprios demônios, bem como um assassino mais letal do que qualquer outro que já enfrentou antes.

RESENHA:
09/02/2017


A garota no gelo é o primeiro thriller policial do Robert Bryndza e esse é o primeiro de uma série com a detetive Foster.Apesar das comparações com A Garota no trem e Garota Exemplar, eles não tem nada a ver em estilo. Ainda assim, é muito bom.

A detetive Erika Foster é chamada para investigar o caso de uma garota encontrada morta num lago e logo se confirma que é a filha de um importante homem da cidade.A princípio a polícia não tem nada que ajude a resolver o caso, mas a detetive começa a seguir uma outra linha de investigação e descobre pistas até então desconhecidas. Porém, ao mexer com alguns figurões, a polícia se recusa a aceitar as novas pistas e não dá créditos à detetive.Frustada, Erika passa por cima de ordens e segue por conta própria até que ela mesma se complica.Mesmo com pouca ajuda, a de seus parceiros Moss e Peterson, Erika faz sua investigação à parte enquanto a polícia segue outra linha investigativa e com pressa em mostrar serviço, se precipita nas atitudes.No decorrer da estória outros corpos aparecem e crimes antigos são trazidos á tona, o que deixa a estória com um ritmo mais acelerado.


Paralelamente, vamos ficando a par dos passos "da figura", como o assassino(a) é chamado pelo autor e em alguns capítulos é narrado o comportamento dele.O começo também achei muito bom, mostra os últimos momentos da vítima com o assassino(a).

A estória é ótima e envolvente!Mas fiquei com raiva do chefe dela, a atitude dele não convenceu! Mesmo ela jogando as provas na cara, ele se recusava à aceitar o que ela tinha descoberto. Não acho que a polícia seria assim tão estúpida.O final foi ótimo, não esperava aquilo e apesar de não ter entendido muito bem os motivos do assassino(a), eu fui convencida com a proposta do autor.Acredito que os próximo livros do Robert serão ainda melhores e quero ler mais estórias com a detetive Foster e seus parceiros.

Recomendo ;-)

Nenhum comentário:

Postar um comentário